Animais Fantásticos J. K. Rowling

[Atualizado] J.K. Rowling dá dica sobre enredo de Animais Fantásticos e Onde Habitam

Escrito por Vinicius Ebenau

J.K. Rowling e o Twitter estão inseparáveis.

Mais uma vez, a autora usou a rede social para revelar novas informações, desta vez envolvendo a trama original de Animais Fantásticos e Onde Habitam, a qual não há muitos detalhes.

Questionada se o Instituto das Bruxas de Salem, citado durante o capítulo “Bagman e Crouch” de Cálice de Fogo, seria a escola de bruxaria americana, Jo esclareceu que, na verdade, era uma piada com o Women’s Institute, organização comunitária britânica que promove o engajamento feminino em atividades locais. Em seguida, quando perguntada se Newt a visitaria em Nova York no primeiro filme da trilogia, eis sua resposta:

Não, mas ele vai conhecer pessoas que foram educadas na [nome] em [não em Nova York].

É de conhecimento que existem onze escolas de bruxaria pelo mundo: Beauxbatons (França), Durmstrang (Noruega ou Suécia), Hogwarts (Escócia), Koldovstoretz (Rússia), Mahoutokoro (Japão), Uagadou (África), uma no Brasil (cheque sua caixa de correios), uma nos Estados Unidos, e outras em lugares não mencionados.

O longa estreia em 18 de novembro de 2016 em 3D e IMAX.


Atualização: A escritora falou mais sobre o assunto, dando ainda mais pistas. Dessa vez, ela deu a entender que a cultura indígena norte-americana terá importância para a escola, já que a mágica indígena fez parte de sua fundação. Segundo Rowling, ela não pode dizer que tribos têm relação, pois isso poderia denunciar a localização. Leia os tweets na íntegra:

A escola de magia na América [e seu nome?] terá alguma relevância para a cultura indígena norte-americana?

Se eu responder isso plenamente, a localização da escola será revelada, mas você pode entender isso como um sim!

Ah, calma – você quis dizer que o NOME é de origem indígena? Não é. O nome é de origem imigrante.

Entretanto, magia indígena foi importante na fundação da escola. Se eu disser quais tribos, a localização será revelada.

Sobre o autor

Vinicius Ebenau

Vinicius, infelizmente, não consegue se descrever bem. Tem como um de seus maiores sonhos reler Prisioneiro de Azkaban em menos de seis meses, e reassistir o filme sem dormir perto do final.