Animais Fantásticos Harry Potter Livros

A Entertainment Weekly de hoje trouxe mais novidades de Animais Fantásticos. Leia a matéria completa!

Escrito por Igor Moretto

A revista americana Entertainment Weekly, como já previsto, lançou sua edição dedicada a Animais Fantásticos e Onde Habitam, e a matéria completa traduzida você pode conferir aqui. Dentro os assuntos comentados estão os personagens, as criaturas e a produção do filme a ser lançado em novembro do ano que vem.

No começo da semana fomos presenteados com a informação de que a revista faria uma edição que traria além de diversas fotos exclusivas do longa, algumas informações inéditas sobre a trama e os personagens. Hoje (6), o especial foi publicado. Veja os scans.

Traduzimos a matéria completa abaixo, depois do divisor. A entrevista de Stuart Craig publicada no site também está traduzida no fim do artigo principal. Não se esqueça que em breve sai nosso podcast onde comentaremos sobre todas as novidades com membros do Potterish e outros participantes!

Um Mundo Completamente Newt
Traduzido por Igor Moretto
Revisado por Vinícius Ebenau e Renato Delgado

Encontramos Newt Scamander longe de seu habitat natural. O internacionalmente conhecido “magizoologista” manobra pelas ruas movimentadas da Manhattan dos anos 20. Ele é um cara meio desajeitado, e de perto, um cuidadoso observador vai detectar dicas sobre sua origem e seus hábitos. Percebem o andar espaçado dele? Isso é por que ele geralmente está escondido no meio de uma floresta. Aquela jaqueta larga? O excêntrico homem inglês não está acostumado com roupas metropolitanas. Sua discrição quando alguém se aproxima? Ele fica desconfortável perto de outras pessoas. E também há essa maleta marrom-mostarda e velha que ele carrega e protege. Algo dentro dela é muito precioso para ele.

Estamos perseguindo Newt nessa grande réplica da cidade de Nova York no Leavesden Studios nos arredores de Londres porque, como suas criaturas, ele é um dos mais raros de seu tipo: o primeiro protagonista da franquia de 10 bilhões de dólares “Harry Potter” que não é Harry Potter. Interpretado por Eddie Redmayne, ganhador de um Oscar, Newt Scamander é o herói do ultra misterioso Animais Fantásticos e Onde Habitam do próximo novembro, o primeiro filme de uma franquia da Warner Bros. baseada na minienciclopédia da fauna mágica (por exemplo testrálios e fadas mordentes).

Escrito por J.K. Rowling e publicado pela primeira vez em 2001 com meras 42 páginas – normalmente demorava mais que isso para Harry somente deixar a casa dos Dursley – Animais Fantásticos e Onde Habitam é um livro didático, escrito por Newt, que é usado pelos alunos da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts nos livros de “Potter”. Não há trama nenhuma no livro. Então como fazer um filme baseado em um simples catálogo de criaturas? Uma ideia envolvia criar um documentário fictício – pense no Animal Planet com hipogrifos ao invés de hipopótamos – mas quando Rowling ficou sabendo, ela ofereceu outra: “Ela simplesmente começou a escrever,” diz o produtor da franquia Potter, David Heyman.

Apesar de Rowling ter controle criativo nos filmes de “Potter”, Animais Fantásticos marca a primeira vez que ela escreve um roteiro de cinema. E isso fez com que a espera por um rascunho tenha sido desesperadora para todos os envolvidos, especialmente Redmayne. O ator de 33 anos foi cotado cinco meses antes de Rowling entregar o roteiro, o que o colocou na posição nada invejável de potencialmente recusar a contadora de histórias mais amada (e lucrativa) do mundo. “Eu li os livros [de ‘Harry Potter’] e assisti aos filmes, então você não quer ser a pessoa que chega e…” Redmayne deixa o resto desse pensamento perdido no ar. Ele faz isso com frequência, na verdade. “Eu fiquei nervoso porque, e se eu lesse o roteiro e…” Sim. Entendi.

O britânico ruivo, que no começo do ano levou pra casa um Oscar de Melhor Ator por sua interpretação de Stephen Hawking em A Teoria de Tudo e é considerado um dos possíveis indicados desse ano por sua atuação como a pioneira transexual Lili Elbe em A Garota Dinamarquesa (que sai dia 27 de novembro no Reino Unido, e 25 de fevereiro do ano que vem no Brasil), não precisava se preocupar. O primeiro rascunho de Rowling tinha tudo que os cineastas esperavam: uma história completamente descarnada que, estranhamente para a franquia super-britânica, se passava na cidade de Nova York em 1926. “Haviam coisas de tirar o fôlego.” Heyman diz em sua “sala de comando” no Leavesden, junto com storyboards cheios de spoilers e uma placa na porta avisando para a equipe de faxina não entrar. “Tinha a marca registrada dela, a incrível imaginação.”

Redmayne experimentou essa imaginação em primeira mão quando se sentou com a autora pra discutir seu papel. “Ela pôde contar tudo, cada complexidade,” ele admira. “Você não está interpretando um personagem ‘real’, mas na mente de J.K. Rowling, Newt é inteiramente multi-dimensional, e você pode conversar com ela sobre como a vida dele era.”

No filme, dirigido por David Yates (que encabeçou os últimos quatro filmes de “Potter”), as aventuras de Scamander o levam a uma América dos anos vinte onde bruxos têm vivido escondidos por séculos. Os julgamentos de Salém não exatamente melhoraram as relações da comunidade, e agora a maioria dos Trouxas – que são chamados de No-Maj nos Estados Unidos – não acreditam nem que bruxos existem. Newt inadvertidamente ameaça o status quo quando suas perigosas criaturas saem de sua maleta.

Então, sobre essa maleta: É encantada e, não diferente da bolsa de viagens de Mary Poppins, é muito, muito, MUITO maior no lado de dentro do que parece ser pelo lado de fora. É, na verdade, um tipo de parque de diversões da selva portátil, repleto de criaturas que vivem cada uma em seu habitat único. Agora, se isso está começando a soar como uma história sobre um garoto-e-seu-cachorro-de-três-cabeças, não tenha medo. Newt encontra algumas companhias americanas.

Assim como os filmes de “Potter”, Animais Fantásticos é sobre um grupo de amigos, mas dessa vez são quatro ao invés de três. Newt se junta a Porpentina “Tina” Goldstein (Katherine Waterson, de Steve Jobs), uma ambiciosa funcionária da versão americana do Ministério da Magia, que é chamado de Congresso Mágico dos Estados Unidos da América – CMEUA (Magical Congress of the United States – MACUSA). Tina apresenta Newt a sua irmã e colega de quarto Queenie (a novata Alison Sudol), que é uma “legilimente” (leitora de mentes) com um grande coração. E temos também Jacob Kowalski (Dan Fogler, de Bolas em Pânico), um operário que se transforma no primeiro protagonista No-Maj da franquia. “No começo da história, Jacob termina com sua namorada e acaba sendo levado para esse mundo mágico com um senso de maravilha e franqueza,” Heyman diz. “Ele é nossa porta ao mundo.”

O quarteto está destinado a ser comparado ao trio Harry-Rony-Hermione, o que talvez seja igualmente injusto e inevitável. “A suposição é que Newt é o centro e a frente, mas é um quarteto,” Redmayne diz. “Então sinto que isso tira um pouco da pressão. Pelo menos é isso que eu estou dizendo a mim mesmo.”

Completando o elenco estão Colin Farrell como Graves, um auror do CMEUA que vai atrás de Newt; Samantha Morton (de Minority Report – A Nova Lei) como Mary Lou, uma No-Maj que lidera a Sociedade Filantrópica Nova Salém – conhecido como os Second Salemers; e Ezra Miller (de Descompensada) como o filho adotivo e problemático dela, Credence. Credence é o personagem mais enigmático de todos, e um que pode evoluir para alguém muito notável no Potterverso. No meio tempo, Miller está simplesmente feliz de estar ali. “Quando tinha 11 anos, não recebi minha carta de Hogwarts, e fiquei bem chateado,” ele diz. “Ser parte disso me faz sentir como se eu tivesse conseguido entrar em Hogwarts – como assistente de algum professor ou algo assim.”

Alguns críticos têm comentado sobre a falta de diversidade no elenco principal de Animais Fantásticos – uma ironia para um filme que é sobre intolerância. Mas Heyman está disposto a explicar que a divisória racial na cidade é parte do contexto histórico do filme. “Em Nova York da década de 20, havia uma segregação entre brancos e negros, e isso se reflete aqui,” ele diz, afirmando que uma cena no Harlem deixa essa separação muito clara. “Mas o mundo bruxo é uma sociedade muito mais aberta e tolerante, onde as pessoas de cor e de diferentes etnias coexistem harmonicamente.” Yates coloca que Animais Fantásticos é “um pouco mais adulto” que o resto do canon. “Não existem crianças nesse filme,” ele diz.

Pelo fato do elenco não ser infantil, contudo, os membros tiveram que entender algumas coisas. Os atores tiveram que pincelar sobre sua magia, rapidamente. (Não tem como pular sete anos de Hogwarts sem precisar de alguns estudos para consertar.) Primeiro: escolher varinhas. Cada ator recebeu um monte de opções de design antes de praticarem movimentos mágicos em “aulas de varinha”. “Você tem que ter uma discussão inteira sobre qual varinha você tem – é disso que sonhos de crianças são feitos,” Redmayne diz. “Eu pensei tipo, bem, Newt não teria nada de couro ou nada que fosse feito de um chifre. Teria algo simples e parecido com madeira.”

Waterston pediu que sua varinha fosse mais pesada para que seus feitiços fossem mais fortes. Farrell diz que ele teve uma “varinha para praticar” – como se dar uma varinha “de verdade” para o ator de True Dectetive fosse perigoso – para levar para o seu quarto de hotel . “Eu ficava andando pra lá e pra cá com um roupão e uma varinha na minha mão,” Farrell diz. Ali, ele gesticula para a TV: “Channel 4! BBC 1!”

Sobre os animais fantásticos do título, o zoológico inclui o pelúcio, um caçador de tesouros minúsculo que se atrai por coisas brilhantes; um tronquilho, uma criatura parecida com um graveto que vive no bolso do Newt; e a mortalha-viva, que mata suas vítimas enquanto elas dormem. Redmayne se preparou para o papel por meses, passando um tempo com tratadores de zoológicos e outros manipuladores de animais, fazendo ele possivelmente o único ator na história a usar uma imersiva e metodológica pesquisa para interpretar um bruxo. Ainda assim, seus colegas dizem que valeu à pena. “A melhor coisa é ver Eddie interagir com as criaturas,” Waterston diz. “É maravilhoso. Ele tem toda uma dinâmica com eles.”

Quando o filme for lançado no dia 18 de novembro de 2016 [no Brasil, será no dia 17], os fãs podem esperar por algumas criaturas dos filmes de “Potter” também (os sereianos vão provavelmente aparecer). Só não espere ver versões jovem de personagens humanos conhecidos. Pelo menos não por enquanto. Se Animais Fantásticos for um sucesso, contudo, mais filmes são planejados, com Rowling provavelmente escrevendo os roteiros. (Em seu estilo usual, ela já tem os próximos dois planejados.) No decorrer do tempo, Heyman sugere, não devemos nos surpreender se virmos um ou dois rostos familiares. Um diálogo em Animais Fantásticos faz referência a um bruxo que você já deve ter ouvido falar – um cara chamado Dumbledore.

5 segredos na nossa foto que você talvez tenha perdido
Traduzido por Vinicius Ebenau e Renato Delgado
Revisado por Igor Moretto

beasts-behind-the-cover

1. BRUXARIA ARQUITETURAL

O Congresso Mágico dos Estados Unidos da América (CMEUA) está escondido da vista dos trouxas dentro do verdadeiro Woolworth Building (a estrutura mais alta de Nova York em 1926). Bruxos entram através de uma porta giratória ultra-rápida em um grande lobby. Embora este “palco” de Animais Fantásticos tenha uma 76m de largura e 15m de altura, o teto será estendido com efeitos especiais para chegar a mais de 213m para representar “uma catedral de luzes vazia, um espaço extremamente impressionante e brilhantemente iluminado”, disse o designer de produção Stuart Craig.

2. AS FÊNIX DA ORDEM

O roteiro de J.K. Rowling incluía estas quatro estátuas de fênix douradas (duas invisíveis) que suportam a entrada do CMEUA, prestando homenagem àqueles que morreram durante os julgamentos das bruxas de Salem – um enorme evento traumático na história da relação entre os bruxos americanos e os No-Maj (Trouxas). Notas de Craig: “Em toda a parte, o mundo mágico está fundamentado no contexto do mundo Trouxa, nascido de coisas familiares e reais.”

3. OURO, NÃO MAIS APENAS PARA POMOS

Vagamente baseado no interior do gótico art-deco American Radiator Building, no centro de Manhattan, o design do CMEUA inclui um uso pesado de ouro para “trazer uma riqueza para a decoração. Dado que esta é a sede do poder do governo no mundo mágico, é apropriado que seja dourado.”

4. HERÁLDICA MÁGICA

O emblema oficial da CMEUA, baseado no selo presidencial dos Estados Unidos, inclui a gravura de uma bandeira americana combinada com uma fênix abstrata.

5. A CURIOSA MALETA DE NEWT SCAMANDER

Intencionalmente gasta e com base em uma maleta fiberboard, a valise de Newt contém um mundo repleto de raras e ameaçadas criaturas e seus habitats, que podem ser escondidas dos Trouxas curiosos – e inspetores alfandegários norte-americanos – com o toque de um botão secreto no trinco. Sua varinha, também, é deliberadamente simples e de madeira.

Sobre o autor

Igor Moretto

Igor já trabalhou como tradutor de conteúdo em diversos sites. Hoje, formado em Produção Audiovisual, procura alimentar o Animagos com novidades e é responsável pelo podcast mensal.

  • Pingback: Primeiro pôster de Animais Fantásticos e Onde Habitam! - Animagos()

  • Pingback: "A palavra 'muggle' com certeza estará em Animais Fantásticos", diz Eddie Redmayne - Animagos()

  • Gisele Oliveira

    Heyman diz sobre Jacob “ele é nossa porta ao mundo” hum…com essa descrição parece que ele vai ser o tipo de personagem que faz o papel da gente (telespectador) na trama, coisa muito comum em histórias fantásticas. É aquele personagem “normal” que é introduzido à um mundo inteiramente novo e cheio de aventuras, desempenhando papel importante nas tretas de lá…isso deve torná-lo quase um protagonista e muito querido pelos fãs, na verdade a matéria já diz que ela será um protagonista mesmo, eu que não esperava tudo isso dele, tomara que dê certo.
    O fato do filme “não ser infantil”, ou seja, não ter os dilemas e tramas adolescentes que HP teve é um ponto positivo pro David Yates, já que acho que ele falhou miseravelmente nessa parte dos filmes.
    Desde quando a sociedade bruxa é tolerante, David Heyman??
    A mala do Newt é muito maior por dentro e guarda os seres fantásticos, ou seja, ela é a pokebola! XD
    Me desculpem a blasfêmia, mas Stuart Craig é Deus!