Podcast

Podcast Animagos #19 – Ressaca fantástica

Escrito por Igor Moretto

Já faz quatro meses que Animais Fantásticos e Onde Habitam estreou nos cinemas. Será que nossas opiniões sobre ele mudaram desde novembro? Será que já deu tempo de assistir de novo? Vamos falar sobre as nossas impressões quanto ao filme agora que a digestão rolou e só sobrou a ressaca.

No episódio de hoje, seus anfitriões ressaqueados Igor Moretto (@igorzets), Renato Delgado (@nato_delgado) e Vinicius Ebenau (@vinnyebenau) conversam com Nayara Sevciuc (@GingerPygmyPuff) sobre os meses depois do lançamento de Animais Fantásticos e Onde Habitam; as teorias, informações reveladas por algumas pessoas, e no final fazem brincadeiras. Se você quiser ouvir o Vinicius cantando o hino de Ilvermorny, fica até o último segundo!

Você pode ouvir o episódio no player acima ou fazer o download do .mp3 aqui (botão direito, salvar link como…/salvar link). O episódio também está disponível no iTunes, então você poderá assinar o feed no seu computador ou ouvir os episódios no seu iPhone, iPod ou iPad no aplicativo Podcasts. Você pode também adicionar o podcast ao seu agregador RSS ou player de podcast preferido através deste link.

A Nayara faz parte do Clube do Livro Letters, e você pode conferir a página do projeto aqui. Quer saber mais sobre o sorteio que comentamos no episódio? Clique aqui.

Se você quer entrar em contato com a gente e mandar sua opinião sobre o podcast (ou qualquer outra coisa, mesmo!), comente nesse post, ou envie um email para contato@animagos.com.br. Nós também estamos no Twitter, como @siteanimagos; no Facebook, como /siteanimagos, no YouTube, como +animagosbrasil, e agora também no Instagram, como @animagosbrasil!

Sobre o autor

Igor Moretto

Igor já trabalhou como tradutor de conteúdo em diversos sites. Hoje, formado em Produção Audiovisual, procura alimentar o Animagos com novidades e é responsável pelo podcast mensal e o Muffliato.

  • Gisele Oliveira

    O nome do David Yates é doce na boca do Vinícius kkk…é nóis, também adoro reclamar dele.
    As pessoas gostaram do tronquilho não pela aparência, mas acho que pela relação de dependência e fidelidade com o Newt, lembra um catioro.
    Não fiquei muito feliz com esse rumo “épico” que AF tá tomando porque acho que simplesmente não vai corresponder.
    “A gente reclama porque a gente é fã” foi no nível de “sou fã, quero service”. Parabéns!

  • Gabriel Leandro Ferreira

    Foi o primeiro podcast que ouvi do site e ri demais kkkk Uma coisa que me incomodou nesse filme foi eles não terem explicado o que aconteceu com o verdadeiro Graves, o Grindelwald tava transfigurado ou usando poção Polissuco? Eu não li o roteiro do filme ainda, mas na primeira cena quando o Grindelwald ataca um grupo de aurores, talvez o verdadeiro Graves tenha sido capturado ali.

    • Gabriel Leandro Ferreira

      Como o Colin Farrell disse que não vai participar do próximo filme, provavelmente eles nem irão explicar isso melhor.

    • Erica Nascimento

      Olá @gabrielleandroferreira:disqus , o Grindelwald realmente utilizou transfiguração e não poção polissuco. Por isso que o Newt consegue desfazer o “disfarce” do GG ao utilizar o feitiço revelio (caso fosse poção polissuco, o revelio não funcionaria provavelmente).

      A confusão em relação a isso ficou pq o produtor deu uma entrevista pós filme (des)informando que o GG tinha utilizado polissuco (provavelmente levado pelos acontecimentos do 4º filme). Mas a JK postou no site dela confirmando que foi transfiguração após ter sido questionada sobre. Segundo a JK “A habilidade de transfiguração de Grindelwald supera a da maioria dos bruxos, então ele usou um feitiço, não uma poção, pra adquirir a aparência de Percival Graves.”

      P.S. Ela respondeu outras questionamentos lá também (tanto de AF quanto da saga HP)
      https://www.jkrowling.com/welcome-to-my-new-website/

  • Lucas Neiman

    Sobre o final do filme onde é utilizado o veneno do rapinomônio para apagar memórias ruins de toda a cidade:

    Vocês comentaram que essa parte não ficou bem explicada, e que seria impossível que todas as pessoas, inclusive as que estavam dentro de casa tivessem as memórias apagadas instantaneamente. Disseram que isso foi um furo na história, e até criticaram a JK por isso.

    O que eu penso:

    1) É óbvio que a poção não conseguiu apagar a memória de todo mundo. Provavelmente algumas pessoas ainda vão lembrar de tudo o que aconteceu, mesmo que de forma vaga. Isso já aconteceu outras vezes no mundo da magia. Na introdução do livro de Animais Fantásticos, é descrito que uma vez foi preciso apagar a memória de toda uma cidade, mas que alguns trouxas conseguiram ficar imunes aos efeitos. É dito que um deles até ficou famoso como sendo “O Esquisitão”, pois insistia em falar nos bares sobre grandes lagartos voadores. Provavelmente no filme aconteceu o mesmo. Os no-majs que aindam lembram do que aconteceu vão ser considerados loucos. O próprio Jacob parece ter uma lembrança vaga do que aconteceu, pois fica com cara de confuso quando abre os olhos no meio da chuva. E parando pra pensar, isso acontece no nosso mundo. Pessoas que dizem ver espíritos ou coisas sobrenaturais são vistos como loucos pela sociedade em geral. Mais uma vez a JK fazendo relação do mundo mágico com nosso mundo.

    2) Sobre a cena que mostra as pessoas tomando banho ou bebendo água e tendo a memória apagada: acredito que foi apenas um recurso para demonstrar no filme que, em um futuro próximo, as pessoas que entrassem em contato com a água teriam a memória apagada. A cena das manchetes de jornal mudando também mostra esse recurso sendo usado. Apenas uma forma de mostrar como as coisas aconteceram no futuro. Não acredito que isso tenha acontecido imediatamente após o pássaro trovão criar a chuva. Foi dito em algum lugar que a chuva afetou o sistema de abastecimento de água da cidade, e que, portanto, todos seriam inevitavelmente afetados pela poção. Não podemos nos esquecer que os eventos retratados no filme ocorreram em apenas um ou dois dias, se não me engano.

    3) Sobre a questão de apagar apenas memórias ruins, lembrem-se que os aurores estão reconstruindo a cidade sem nenhuma proteção contra a chuva. Se fosse uma poção para apagar a memória como veritaserum, os aurores não poderiam estar desprotegidos.

    4) Eu particularmente gostei muito, pois deu importância maior ainda ao Newt e às criaturas dele. Uma outra visão sobre as criaturas mágicas. E ainda fico me perguntando se o motivo do Newt ter ido para os EUA foi realmente “soltar” o Frank. Talvez ele tenha levado com ele um pássaro trovão e os rapinomônios propositalmente, já imaginando que teria que usar a poção para apagar memórias. Só nos resta aguardar os próximos filmes.

    Ahhh, e façam mais podcasts que tô achando é pouco! E um abraço especial pra Nayara que é um ser humaninho sensacional.

  • Erica Nascimento

    Oi, pessoas. O comentário será gigante, desculpa!
    Sobre as memórias apagadas pelo veneno do rapinomônio: Minha interpretação foi de que o veneno não é apenas jogado pelo Pássaro-Trovão mas incorporado à chuva no momento que ela é produzida, embora não saibamos exatamente como o Thunderbird a produz. O que tornaria talvez mais plausível a “obliviatação” – principalmente das memórias “ruins” ou “apavorantes” (devido a sua diluição) – visto que essa chuva já possuiria em sua essência essa propriedade.

    Acho que não havia uma necessidade real de os aurores se protegerem da chuva porque aqueles eventos não eram realmente aterradores para eles, que já estão acostumados com a magia. Embora haja a possibilidade de os aurores terem utilizado o mesmo feitiço de impermeabilização que a Hermione utiliza nos óculos do Harry (“impervious”, acho. Não lembro exatamente em qual livro aparece) ao invés de “conjurar” um “guarda-chuva” como o da Queenie.
    Para os no-majs, no entanto, deve ter sido aterrorizante, principalmente por não compreenderem o que estava acontecendo, atribuindo ao evento, talvez, a alguma obra do capiroto.
    Imagino que a preocupação mais eminente do aurores foi com a galera que estava ali próximo ao local da ação, que realmente “viram” alguma coisa. As pessoas que estão dentro de casa e que possam ter tido algum acesso a notícia, é mostrado para a gente como elas entrariam em contato com água, visto que a água da chuva vai de uma forma ou de outra para os reservatório de abastecimento das casas.
    Dessa cena, esse foi um momento que também me incomodou um pouco, porque por mais que o veneno tenha sido incorporado à chuva durante a sua produção (se realmente aconteceu dessa forma), ao chegar às casas estaria muito diluída (será? Já que a chuva teoricamente já possuiria essa propriedade? Não sei…), talvez até mesmo para os no-majs que possuem uma fisiologia um pouco diferente da nossa (como nos é apresentado) e podem ser mais suscetíveis à magia.
    Entretanto, mesmo que algumas pessoas tenham alguma lembrança do ocorrido, acho que a maioria não acreditaria (até elas mesmas desconfiariam de si, inclusive), tentando dar para si explicações mais condizentes com a realidade do que “bruxaria”. Afinal, em nossa realidade, pessoas aparecem na tv (em cidades pequenas é comum virar a sensação do lugar, inclusive) afirmando terem visto ovni, imagem de jesus na janela, gente incorporando o capiroto, jogo do lápis que mata criancinhas em escolas e por aí vai… às vezes cidadezinhas inteiras ficam impressionadas com os boatos e, ainda assim, tem mais outras trocentas pessoas para desacreditar e dizer que não faz sentido algum, e tentar explicar tais fenômenos de forma lógica ou colocar culpa da histeria coletiva no fato de muitos naquele ambiente serem muito crédulos e/ou influenciadas por uma mídia sensacionalista.
    Mas é possível e provável que algumas pessoas realmente não tenham a memória totalmente apagada e que permaneçam acreditando no que presenciaram ou no que algumas mídias continuaram noticiando, mesmo desacreditadas por outros. O Jacob provavelmente deve lembrar desses eventos como uma espécie de sonho, principalmente porque acho pouco provável que ele lembre claramente dos momentos iniciais que conheceu o Newt (ou seja, não lembraria de tudo), já que ele tinha acabado de ter perdido o financiamento para construção da padaria e recebido uma mordida de murtisco. Por mais que isso tivesse acontecido há algum tempo e o veneno do rapinomônio diluído possa ser mais efetivo com memórias mais recentes (não sei), tudo deve ter ficado extremamente confuso na cabeça dele e o seu cérebro tratou de explicar da forma mais plausível dentro de um ambiente em que a magia não é uma opção: sonhos. Em relação ao personagem do Jon Voight, até ele deve ter tido alguns pensamentos um pouco mais distantes (a morte do filho) afetados (além dos eventos mais recentes, claro), só que aí ele teve que encarar uma realidade em que o filho dele continuava morto, interpretando as memórias enevoadas como uma tentativa da própria mente de esquecer (e, caso lembre de mais alguma outra coisa, tentativa de justificar) o choque.
    Aliás, acho toda essa cena da morte do candidato a senador muito boa. Nós criamos uma rejeição a essa família pelo pouco que nos é mostrado dela, então nós vemos o candidato a senador morrendo de uma forma bizarra e o pai dele junto ao corpo do filho, e a gente meio que tem um estalo de que, independente de quem morra, alguém vai sentir aquela dor, mesmo que não sejamos nós. Meio que lembramos do Theonden falando em Senhor dos Anéis que nenhum pai deveria ter que enterrar seu filho.
    Em relação ao outro filho, é muito possível que sua memória não tenha sido totalmente (ou nada) apagada. No momento que está todo mundo chocado, a câmera dá um foco no rosto dele e ele está impressionado sim, mas de certa forma com um sorriso meio bizarro e feliz. O personagem do Jon Voight já está velho, será que não há a possibilidade de o filho assumir o jornal posteriormente? E será que isso traria algum impacto para a história em um momento no qual o GG está em ascensão? Sim, os demais filmes vão se espalhar por outros países, mas a JK comentou que os conflitos no mundo trouxa e bruxo meio que se retroalimentam, esses paralelos provavelmente continuarão.
    A mídia teve uma grande importância no governo nazista e, o impacto não foi apenas local, as mídias do mundo divergiam e/ou selecionavam aquilo que queriam que as pessoas “soubessem” o tempo todo. Será que esse núcleo da família Shawn não irá aparecer novamente em algum momento ou ter alguma relevância, mesmo que indiretamente, naquilo que o GG quer que aconteça?
    Eu tive a impressão que algumas coisas que nos são apresentadas ou sugestionadas meio que são deixadas para nossa interpretação e eu não acho isso ruim, ao menos não da forma como foi feito aqui.
    Sobre a frase do GG no final “morreremos só mais um pouco” que ficou a dúvida no cast anterior de AF e não sei se vcs ainda a possuem. Em reflexões posteriores pensei em algo como: se vocês não vão se aliar às minhas ideias para que possamos fazer os trouxas compreenderem que nós bruxos somos superiores e que não há necessidade nenhuma de vivermos escondidos, então continuarei fazendo as coisas do meu jeito, independente de quem eu tenha que derrubar para que isso aconteça… “morreremos mais um pouco” – bruxos e trouxas, até que alcancemos o “bem maior”.
    Aliás, o perigo do GG está na lábia, né. Distorcendo ideias que, de certa forma, parecem fazer sentido… dá para imaginar o perigo disso.
    A impressão que eu tive do GG nesse filme e associando ao pouquíssimo que sabemos dele nos livros, é de que ele é ainda mais malicioso do que o Voldemort, que em seu auge se utilizava muito mais do terrorismo do que dessa malícia e manipulação para se manter no poder (não que o Vold também não seja manipulativo). Fico me perguntando se o GG tivesse passado um pouco mais de tempo falando, quantos daqueles bruxos do MACUSA que estavam ali não teriam ido para o lado dele.
    Sobre a heterocromia do GG, não nos é apresentado nos livros, mas eu tenho a impressão de que essa característica foi uma adição do ator. A aparência do JD me lembrou um pouco o David Bowie. Depp deve ter sido chamado para fazer o papel ainda no primeiro semestre ou trimestre do ano, e o David Bowie (e acho que já tinha visto que o Depp é bem fã dele), tinha morrido recentemente (faleceu alguns dias antes do Alan, inclusive ;-;). Eu não duvido que o Depp tenha questionado se poderia ser encaixado a heterocromia, meio como uma homenagem ao David Bowie. Mas enfim, vai saber…

  • Gustavo Borella

    Eai pessoas lindas desse mundo mágico!
    Vou escolher comprar o Blu-ray, mas ainda estou indeciso entre o Steelbook ou 3D.
    Faz “tanto” tempo que vi o filme e ainda não tenho uma opinião formada, estou esperando ter o meu Blu-Ray em mãos para assistir e pensar melhor.
    Mãe do Igor parece ser muito fofa, hehe.
    Estou esperando vocês fazerem esse negócio dos filmes, adorei a ideia.
    Também gostei das brincadeiras, avada na Umbridge eveerrrr!
    Beijos da Nagini <3

  • James Solano

    E ai anfitriões do animagos , vcs demoraram tanto a posta podcast que pensei que iria voltar só no segundo filme dos animais fantástico kkkk escutei os 2 últimos que teve participação especial do James Solano com a trilha sonora que todos amaram kkkk Bom vou fala da peça Harry Potter and the Cursed Child que esta concorrendo a prêmios . Isso só confirma minha teoria que fã de HP e trouxa se contenta com pouco por gosta dessa peça muito ruim so porque J.K “participou” do roteiro (p.s rasguei algumas folhas roteiro) e joguei no lixo que comprei de tão Fajuto, nem considero cânone se vira filme Parabéns , Conclusão se ganhar algum premio tem muito fã trouxa aceita qualquer Shit que nem pra criança seve a leitura kkkk. Então valeu animagos por continuar os cast quem sabe um dia participe dos próximos ,emfim ate Vlw!

  • Gustavo Borella

    Uhulll mais um podcast! Baixando para escutar.

  • Lucas Neiman

    Nayara melhor pessoa.

  • Cyrano McGonagall

    Olá Seus lindos. Olha só quero dizer em primeiro lugar que amo vocês, e maus uma vez expressar o quando admiro a dedicação de todos vocês.
    Falando sobre crushs: alguém comentou podcast passado sobre o Sam Clemmett, o Alvo Severo, e queria dizer que fico toda molhada quando vejo ele…. Ele faz bem meu tipo. Igual o nosso Eddie…. aliás quero a cena dele sem camisa já. E só para saber a opinião de vocês quero saber o que acham da beleza do Tom Holland o novo Homem Aranha, ele é meu crush master. Hahahah.
    Mas deixando as brincadeiras de lado, eu realmente estou muito ansioso pelo título do próximo filme, e espero profundamente que tenhamos melhorias quanto a direção. Vocês acreditam que a sexualidade do Dumbledore será uma pauta? Ou a relação dele com o Grendewald? Não poderíamos ter a primeira cena de um beijo gay em um blockbuster? Claro que teria que ser em cenas de flashbacks, e pode ser ate no quinto filme mas acjo seria épico… Alias, posso ser louco mas achei as interações entre o Graves e o Credence meio homoeroticas vocês não acharam isso?
    Por fim refletindo, ao filme depois de meses o vejo no valente como nota 9, e acho ainda que o problema está na direção. Meu sonho era o Guilhermo Del Toro dirigindo o próximo, sou muito Eludiane sim.
    Ps: Quem vocês escolheriam para ser o Dumbledore?