Criança Amaldiçoada

Brasil não aparece em lista de possíveis lugares a receberem Criança Amaldiçoada

Cinco alunos em Hogwarts numa aula de vôo. Ao centro, Alvo Severo Potter tenta levantar a sua vassoura no ar, enquanto todo o resto já conseguiu. Entre eles, Escórpio Malfoy e Rose Granger-Weasley.
Escrito por Igor Moretto

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada chega a Nova York em abril de 2018, o que fez muita gente se animar com a possibilidade de anúncios de mais produções ao redor do mundo começarem a surgir. Mas parece que o Brasil está longe de receber a peça, pelo menos no futuro próximo.

O país com uma das maiores e mais ativas fanbases de “Harry Potter” ficou de fora do registro de domínios feito pela The Blair Partnership, como revelado exclusivamente pelo The Rowling Library. Abaixo, você confere a lista.

  • harrypottertheplayathens.com
  • harrypottertheplayboston.com
  • harrypottertheplaybuenoaires.com
  • harrypottertheplaychicago.com
  • harrypottertheplayedinburgh.com
  • harrypottertheplaymelbourne.com
  • harrypottertheplayparis.com
  • harrypottertheplaysydney.com
  • harrypottertheplaytokyo.com
  • harrypottertheplaytoronto.com

Todos esses domínios foram registrados junto com os já conhecidos harrypottertheplaylondon.com, harrypottertheplaybroadway.com e harrypottertheplaynewyork.com, uma semana antes do anúncio inicial feito lá em 2015 sobre a peça, o que revela que os planos quanto aos lugares em que a peça chegaria já estavam sendo pensados antes mesmo de termos um nome para ela.

O registro de domínios garante que ninguém possa usar a URL para qualquer outro fim, ou seja: reservando então esses endereços para, caso algum dia aconteçam, redirecionar aos sites específicos das edições às quais eles se referem. Atualmente, todos os links redirecionam para o site oficialharrypottertheplay.com.

Como mencionado no artigo original do The Rowling Library, o registro desses domínios não significa que a peça chegará exclusivamente a esses lugares, mas se formos tomá-lo como um forte indicativo, é possível que a produção mais próxima de nós seja feita na Argentina, em Buenos Aires. A lógica por trás de sediar uma edição por lá pode ser relacionada ao fato de a cidade ser a maior do continente sul-americano que tem como língua o espanhol, podendo ser um epicentro continental dos falantes dessa língua.

Logo ao lado, existe uma área de 8.515.767,049 quilômetros quadrados conhecida como Brasil que, aparentemente, ficaria fora desse cenário por falar português. Qual sua opinião?

Sobre o autor

Igor Moretto

Igor já trabalhou como tradutor de conteúdo em diversos sites. Hoje, formado em Produção Audiovisual, procura alimentar o Animagos com novidades e é responsável pelo podcast mensal.