Animais Fantásticos J.K. Rowling

J.K. Rowling se defende sobre a sexualidade “não explícita” de Dumbledore – Opinião

Um print screen do tuíte de Rowling que está disponível no corpo da notícia.
Escrito por Igor Moretto

A Entertainment Weekly publicou ontem um trecho de uma entrevista com o diretor David Yates, já conhecido pelo seu inexistente tato quando falando de assuntos com grande carga social. Dessa vez ele revelou que a sexualidade de Dumbledore não será “explícita” em Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald.

Desde que J.K. Rowling falou que Dumbledore era gay para uma leitora em um evento de lançamento de Harry Potter e as Relíquias da Morte, muitos fãs envolvidos com a causa LGBT sentiram um misto de representatividade e pesar. Por que Rowling não deixou isso explícito no canon?

A série “Animais Fantásticos”, que terá os dois primeiros capítulos dirigidos por Yates, promete trazer um pouco mais da história de Dumbledore numa época em que sua sexualidade seria se não protagonista, um dos mais importantes aspectos de sua personalidade.

A resposta de Rowling

Na internet, muitos fãs responsabilizaram J.K. Rowling pela marginalização do tema, tanto em “Harry Potter” quanto na nova série, e, principalmente, pela forma como Yates comentou o assunto na revista. Ela se defendeu:

Receber insultos por causa de uma entrevista que não me envolve, sobre um roteiro escrito por mim e que nenhuma das pessoas bravas leu, que é parte de uma série de cinco filmes e apenas uma parte dela, é obviamente muito divertido. Mas sabe o que é *mais* divertido?

Não é a primeira vez que Rowling explicita o óbvio. Ela não é mais a matriarca de seu mundo. No último podcast do site, falamos sobre como o “Mundo Bruxo de J.K. Rowling” se tornou uma marca com muitas pessoas por trás, e que Rowling acabou perdendo um pouco do controle de sua criação. Escute aqui.

No futuro, vamos culpar os culpados?

Sobre o autor

Igor Moretto

Igor já trabalhou como tradutor de conteúdo em diversos sites. Hoje, formado em Produção Audiovisual, procura alimentar o Animagos com novidades e é responsável pelo podcast mensal.

  • Gabriel Leandro Ferreira

    Nem nos livros a orientação sexual do Dumbledore foi abordada, agora as pessoas estão julgando a autora por uma informação (sexualidade de Dumbledore) que ela revelou numa entrevista? As pessoas só sabem criticar antes mesmo de ter qualquer informação relevante sobre o enredo desse segundo filme, primeiro foi a polêmica de escalação de Depp (compreensível), agora outra polêmica por conta de uma entrevista com o Yates. Não lembro do fandom de Harry Potter ser tão mimimi durante os lançamentos dos 8 filmes da saga, acredito que as críticas surjam exatamente por se tratar de algo desconhecido, já que essas novas histórias não são adaptações e sim roteiros originais.

  • Murray159

    “A série “Animais Fantásticos”, que terá os dois primeiros capítulos dirigidos por Yates, promete trazer um pouco mais da história de Dumbledore numa época em que sua sexualidade seria se não protagonista, um dos mais importantes aspectos de sua personalidade.”

    Discordo. O filme apresenta o Dumbledora na meia idade. O relacionamento com Grindelwald foi na juventude. Não tem recaída quando você acredita que a pessoa é culpada pela morte da sua irmã.

    • Renato Delgado

      Mas a pessoa não deixa de ser homossexual. Ele pode ter retraído sua sexualidade depois do que aconteceu com Grindelwald e a irmã, claro, mas isso pra mim só seria mais um problema de abordagem (o único personagem gay e ele “se tornar” assexual, na minha opinião, é só outra covardia conveniente de Rowling).

      Um Dumbledore velho e sem desejos sexuais, o que conhecemos nos livros de “Harry Potter”, é possível e aceitável porque o tempo biológico faz a libido diminuir. Entretanto, estamos falando de um Dumbledore de “meia idade” que está na flor da idade. É jovial e poderia muito bem ter se relacionado com outras pessoas ao longo de sua vida.

      O que me entristece é isso ser um problema pura e simplesmente pelo preconceito, já que praticamente todos os personagens principais heterossexuais têm interesses amorosos bastante explícitos (Newt e Tina; Jacob e Queenie; Credence e a Maledictus – aparentemente; Teseu e Leta). Mas quando se trata do único personagem gay (que, vale ressaltar, deveria ser o mais importante para os fãs de “Harry Potter”), torna-se uma grande coisa a pessoa ter um interesse amoroso ou ao menos que sua sexualidade seja abordada.

  • Arnaldo

    Acho que não podemos criticar uma coisa que não conhecemos. Não sabemos como a história vai se desenrolar neste segundo filme. Não me surpreendeu nem um pouco, a notícia que a sexualidade não seria explícita “neste filme”, como foi bem dito por David Yates. Este tema não foi explorado explicitamente nos 7 livros de HP e até acredito que será explorado em algum momento nesta série, mas não sei porque o comentário do diretor causou tanta comoção. Até a própria JK está tendo que se defender dos ditos “fãs”. E dizer que o Mundo mágico está mudando e que tem mãos malévolas comandando tudo por trás acaba sendo mais fácil, do que acreditar que uma autora que é tão admirada por todos nós, possa estar indo por um caminho que não agrade a todos.