Animais Fantásticos Os Crimes de Grindelwald

Jude Law fala sobre Dumbledore, J.K. Rowling e Johnny Depp em nova entrevista

Still do trailer do filme que mostra Dumbledore em cima de uma igreja e com um panorama de Londres ao fundo.
Escrito por Igor Moretto

A revista Entertainment Weekly publicou uma entrevista com Jude Law na qual o ator comenta sobre seu trabalho em Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald: seu papel como um jovem Alvo Dumbledore, suas conversas com J.K. Rowling e trabalhar com Johnny Depp, que interpretará seu arqui-inimigo na trama, Gerardo Grindelwald.

Law explicou como se preparou para o personagem de Dumbledore:

Tive a oportunidade de me sentar com J.K. Rowling um pouco antes de começar a gravar. Ela me deu uma boa visão geral da jornada de vida de Alvo, e quem ele era e o que passava por sua cabeça, seu coração e seu mundo em relação a essa história.

Na entrevista, o ator ainda falou que David Yates, o diretor dos dois filmes da franquia até agora, não quis que seu trabalho fosse baseado nas performances dos outros dois atores que interpretaram o personagem anteriormente, Richard Harris e Michael Gambon. Ainda sobre a conversa com Rowling, ele falou:

[Rowling me disse] tanto sobre sua vida interior. […] Ele tem um jeito vivo e jovem de encarar a vida, mas também há algo que pesa em seu coração, uma coisa do passado que fica por baixo disso tudo.

A revista perguntou se o ator teve alguma participação na elaboração da forma como Dumbledore se veste no filme, e Law não economizou elogios à figurinista Colleen Atwood, que ganhou um Oscar por seu trabalho no primeiro filme da série.

Não há ninguém como [Colleen Atwood] no mundo dos filmes. Ela tem uma visão bem clara. [O processo] foi aberto e colaborativo, houve umas melhorias aqui e ali, mas eu gostei da aparência geral do personagem que existiu desde o começo.

O diretor David Yates disse, no começo do ano, que a sexualidade de Dumbledore não estaria explícita em Os Crimes de Grindelwald, o que acabou causando comoção no fandom, que é carente de representatividade LGBT+ desde “Harry Potter”. Law comentou:

[…] na verdade, eu perguntei à Jo [Rowling], e ela disse “sim, ele é gay”. Só que, como em humanos, a sexualidade não te define necessariamente. [Dumbledore] tem muitas facetas. […] O que vocês têm que lembrar é que esse é só o segundo filme de “Animais Fantásticos”, e o incrível da escrita de Jo é a maneira como ela constrói seus personagens, os descasca com o decorrer do tempo. Estamos apenas começando a conhecer Alvo neste filme, e há muito por vir, obviamente. Descobrimos um pouco sobre seu passado no começo deste, e os personagens e suas relações serão mostradas naturalmente […]. Não vamos revelar tudo de uma vez.

Dumbledore e a Transfiguração

Quando o material de divulgação do filme começou a ser revelado, o fandom notou um curioso detalhe: Dumbledore aparecia muitas vezes na sala de Defesa Contra as Artes das Trevas de Hogwarts. No cânone de “Harry Potter”, Dumbledore dava aulas de Transfiguração antes de se tornar diretor da escola, mas Jude Law diz que não foi bem assim…

Nesse ponto de sua carreira, [Dumbledore] não é [professor de Transfiguração]. Não sei se posso dizer o que ele ensina…

Porém, a dúvida continua: em que ponto Dumbledore começou a dar aula de Transfiguração? Sabemos que, durante a passagem do jovem Tom Riddle por Hogwarts, Dumbledore já era professor da matéria. No calendário do cânone, isso deve acontecer mais ou menos dez anos depois deste filme. Por que razão houve essa mudança ao longo de sua carreira? Algum evento específico? Só nos resta especular.

Dumbledore, Grindelwald e Newt

O protagonista de “Animais Fantásticos”, Newt Scamander, vai ser recrutado por Dumbledore para a luta contra Grindelwald em Os Crimes de Grindelwald. Mas como é a relação de Newt com seu antigo professor?

Acho que o que [Dumbledore] admira em Newt é seu senso de código moral. Ele vai sempre fazer a coisa certa porque ele não consegue fazer nada além da coisa certa. Acho que ele gosta que Newt encontre beleza nas criaturas, porque acho que, às vezes, Dumbledore se sente meio que como uma criatura. Há também uma relação de mestre e pupilo, e Newt não tem medo de dizer quando acha que Dumbledore está errado. Não é servidão.

Sobre o passado com Grindelwald, Law não falou muito, já que revelou que não teve nenhuma cena em que contracenasse com Johnny Depp, intérprete do vilão no filme.

[…] essa é só a segunda parte de uma história maior. Sempre admirei [Depp] de longe, mas não nos conhecemos, e ainda não o encontrei aqui. De certa forma, isso reflete a relação dos personagens, já que há muito tempo desde que se viram. Então é legal tentar entender essa complexidade. De novo, o passado se mostrará.

Você pode ler a entrevista completa aqui no site da revista, em inglês.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, o segundo de uma série de cinco filmes que promete contar bastante sobre Alvo Dumbledore antes de “Harry Potter”, estreia no Brasil no dia 15 de novembro deste ano.

Sobre o autor

Igor Moretto

Igor já trabalhou como tradutor de conteúdo em diversos sites. Hoje, formado em Produção Audiovisual, procura alimentar o Animagos com novidades e é responsável pelo podcast mensal.