Podcast Animagos Podcasts

Podcast Animagos #35 – Os Crimes de David Yates

O título do episódio "Os Crimes de David Yates", e embaixo Tina, Newt e Dumbledore.
Escrito por Igor Moretto

No episódio de hoje, seus anfitriões críticos Igor MorettoRenato Delgado e Vinicius Ebenau conversam com Larissa Andrioli, Tamiris Garcia e Maria Carolina sobre as nossas segundas impressões sobre Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald. Deixe seu comentário para virar pauta no próximo episódio!

Você pode ouvir o episódio no player acima ou fazer o download do .mp3 aqui (botão direito, salvar link como…/salvar link). O episódio também está disponível no iTunes, então você poderá assinar o feed no seu computador ou ouvir os episódios no seu iPhone, iPod ou iPad no aplicativo Podcasts. Você pode também adicionar o podcast ao seu agregador RSS ou player de podcast preferido através deste link.

Links

Sonseriníssima, o canal da Larissa;
Pó de Flu, o canal da Tamiris;
Side Quest, o canal da Maria;
Crítica do Side Quest sobre o filme.

Entre em contato

Se você quer entrar em contato com a gente e mandar sua opinião sobre o podcast (ou qualquer outra coisa, mesmo!), comente nesse post, ou envie um email para contato@animagos.com.br. Nós também estamos no Twitter, como @siteanimagos; no Facebook, como /siteanimagos; no YouTube, como +animagosbrasil; e no Instagram, como @animagosbrasil!

Sobre o autor

Igor Moretto

Igor já trabalhou como tradutor de conteúdo em diversos sites. Hoje, formado em Produção Audiovisual, procura alimentar o Animagos com novidades e é responsável pelo podcast mensal.

  • Gisele Oliveira

    Honestamente, gostei do filme. O que é curioso, pois achei o plot principal bem besta: Corvus Lestrange (uma profecia pra lá de aleatória, um cara que quer se vingar do homem que sequestrou sua mãe matando o FILHO dele *com outra mulher*, a Leta dando fim no garoto porque ele chorava demais) e Aurélio Dumbledore (isso só pode ser uma mentira deslavada do Grindelwald pra conseguir o que quer, diz que sim, Rowling!).
    O legal do filme é que ele abre horizontes, o clima de conspirações, novos personagens que parecem importantes e que serão (espero) mais explorados, o tabuleiro se preparando para algo maior…nesse sentido, o filme é mais envolvente que o primeiro, que tem um caráter mais episódico. Como muitos filmes “de meio” ele tem barrigas (os bichos que não servem pra nada, mas estão lá, o bicho que tem serventia, mas ninguém sabe de onde veio. Antonio?) e problemas com ritmo, mas pra quem tem câmara secreta como filme favorito da saga…meu lado fã não se incomodou com o ritmo arrastado dele.

  • Marcello Bartholomeu

    “Manda mais Animais Fantásticos que ta pouco.”

    Bom dia/ Boa tarde/ Boa noite.
    Tenho um pouco a dizer sobre as minhas impressões sobre o filme, então caso meu comentário seja selecionado, aí vai!

    Credence evoluirá muito ainda como personagem, e algo que eu nao entendi é que, por acaso ele sabe que o Grindelwald foi o Graves no ano anterior que tentou usa-lo? Ou ele ta sendo enganado DE NOVO pelo maior bruxo de todos os tempos?
    Queenie taxada de louca e perdeu muito do personagem, espero que logo eles expliquem isso e deem a ela o respeito que merece. Grindewald é um mentiroso descarado que só fez mentir o filme todo (e no anterior) e o maior crime dele foi abandonar o lindo do Dumbledore/ Law no altar, mas ainda é o melhor maior bruxo das trevas de todos.
    Leta morreu, Theseus vai morrer.
    Dumbledore do Law é Michael Gambon mais novo, quem gostou do Gambon gostou do Law (incluindo euzinho). Nao tenho criticas a tecer sobre ele nesse filme, só confirmei minhas impressões de que ele é um sociopata manipulador ressentido (e ainda atacam o meu Snapezinho), brincadeiras a parte, amei a construção do Dumbledore e queria muito mesmo ver a relação amorosa dele e do Grindelwald mais bem explorada.
    Tina completamente perdida, mais do que no primeiro filme, sempre fazendo bosta (o Macusa ta com um problema na qualidade dos aurores) – ai que saudades do Colin Farrell, tenho esperanças ainda que o Graves ta vivo e vai ser tudo de bom nos próximos filmes. Nagini, ainda bem, nao teve nada de importante mas imagino que ela fara algo grande ainda, mas foi legal descobrirmos mais doenças e maldições do mundo bruxo.
    Newt continua a melhor pessoa do mundo, e acho que quantos mais animais a gente tiver melhor, não entendo que reclama de ver bichinhos de CGI tão lindinhos como os pelúcios.

    Agora sobre o enredo, o filme tem um começo alucinante, emocionante e visualmente bonito, mas com vários cortes rápidos e confusos, leva á uma trama mirabolante porém pouco palatável, algumas cenas desnecessárias e claramente foi escrito ás pressas e sem check de informações, temos que descobrir muito mais por fora do que pelo próprio filme, e já que nao é uma adaptação como os da saga principal ele deve ser muito mais subentendido do que pressuposto, não atende as expectativas ou completa verdadeiramente o anterior. Os enquadramentos de câmera estão confusos e estonteantes, focos desnecessários e a câmera algumas vezes dá um zoom bizarro. Dito isso temos que concordar que visualmente é lindo e o CGI bem renderizado, diferente dos trailers assustadores que tivemos antes. O filme é interessante como parte de uma saga, mas peca muito na sua individualidade, ele nao tem ritmo, nem enredo, muitas cenas desnecessárias e fan-services que servem mais para nostalgia do que para completar o filme.
    Mais uma vez reitero que Grindelwald é um mentiroso, audacioso, manipulador e controlador. A primeira vez que vi o filme ficou tão claro que ele estava mentindo (novamente) para o Credence afim agora de achar uma motivação para ele atacar Dumbledore, já que ele próprio nao pode fazer, assim como o Dumbledore faz ao usar Newt.
    Tudo culminará para o ano de 1945, mas agora falta esperar a versão estendida para julgar o filme como ele merece.
    Muito obrigado por terem lido, acompanho o canal, o Podcast e o site há muito tempo, porém nunca quis comentar nada. Espero que esteja fácil de entender os pontos que quis levantar, abraços e “Nox Maxima!”.

  • O arco da Queenie nesse filme se beneficiaria MUITO se o Jacob não estivesse ali, pensem só: o Newt chega em casa e a Queenie está lá sozinha (Bunty deixou-a entrar, e assim vc corta as cenas de animais que não serve pra nada a não ser vender funko e ainda assim registra a personagem), ela conta que brigou com a Tina, e com o Jacob também, chora ou se mostra incomodada com toda a situação. Rasga o bilhete e vai pra Paris atrás da irmã. Pulando pra parte em que o Grindelwald a encontra, a visão do casamento com o Jacob seria muito mais forte (até porque, seria a única parte em que ele apareceria no filme todo) e melhor do que ele apenas dizer “amor”. A cena do choro na chuva poderia até se encaixar melhor depois disso, pois ela estaria bem mais perdida e triste. A cena da batalha com o Protego Diabolica seria muito mais forte se o “embate” da Queenie fosse com a Tina e não com o Jacob, já que o filme praticamente faz parecer que a Tina nem liga pra irmã.

  • Daniel Honório dos Santos

    Oi migos
    AMÉM, mais um episódio pra matar a saudade…

    > amo o antônio, quero justiça, mas obrigado por verbalizarem o quão confuso é a presença dele na cena, também acho mas ficava tenso de criticar o Antônio.

    > ter uma cena do julgamento de Grindelwald – MELHOR IDÉIA.

    > sobre a cena dos bebes trocados, você comentam da coincidencia de ser justamente o aurélio ali na frente e o igor fala das duas familias talvez serem amigas, pois no roteiro é descrito que a Tia de Credence conheçe a Irma, porque ela a chama pelo nome

    “TIA DE CREDENCE
    Irma? Eles querem que
    coloquemos coletes salva-vidas!”

    então de fato elas se conheçiam, pelo menos as duas mulheres, só não sabemos as circunstâncias.

    > SIM, eu assisti a gravação da peça e… Merlin’s Beard, destruiu tudo pra mim. Antes, quando só tive a leitura do roteiro, eu achava a coisa toda até ok, mas quando vi a coisa em palco.. hmmmm, as atuações mexicanas, principalmente a atuação do Scorpius – acaba destruíndo o único personagem que vale a pena ali – e os efeitos que são (finge que estamos num trem, finge que estamos tomando a polissuco), mas até então como a Lari disse deve ser outro rolê ver ao vivo (os dementadores tão bem legais mesmo).

    > Sobre a cena final, vocês não acham que o Aurélio ser IRMÃO do Dumbledore é uma interpretação nossa induzida pela montagem do filme, sendo que na hora que falam a palavra IRMÃO dá um MEGA FOCO NO ROSTO DO DUMBLEDORE.. sendo que no roteiro as cenas acontecem separadas.

    por fim, essa sensação de vocês sobre o filme me descreve – concordo que tem todos esses problemas porém
    ainda assim gosto e dá quentinho no coração quando lembro dele.

    Abraços quentinhos pra vocês.

  • Gabriel Martins

    Olá pessoal do Animagos, ótimo episódio como sempre,
    Não sei se minha opinião sobre o filme mudou muito desde o último comentário q fiz no podcast passado,
    Mas se eu tivesse que dividir todos os filmes desse universo, entre os meus favoritos, os que acho legal mas que não são meus favoritos mas que tem sua relevância, e os que eu realmente não gosto, crimes de grindelwald ficaria na segunda opção, não acho que eh um lixo total como muita gente acha, mas que podia ser muito melhor (e mal posso esperar por essa versão estendida q parece tá bem interessante) , achei muitas coisas boas nele, eu ainda prefiro o primeiro, ele me dá uma sensação boa e eh mais fechado, tem uma linearidade, mas não dá qualquer perpectiva pro futuro da franquia. Já o segundo e o oposto disso da muito e promete muito sobre o futuro, mas parece meio atropelado, mas mesmo assim eh uma bagunça que eu gostei e ainda gosto de ver.
    O que mais me incomoda em crimes de grindelwald eh que parece que tá todo mundo muito acomodado, Acho que precisa de um novo diretor, uma nova visão pro futuro da franquia e com certeza com o flop da bilheteria desse a Warner vai querer procurar isso agora.
    E falando nisso quais diretores ou diretoras vcs gostaria que assumisse a franquia?