Harry Potter

[Coluna] As possibilidades no mundo bruxo de J.K. Rowling

Escrito por Bruno Alves

Durante seus dezenove anos de existência, o lucro de “Harry Potter” foi bilionário. Nos livros, o bruxo fez carreira; traduzido para mais de setenta idiomas e com mais de 450 milhões de cópias vendidas, a série foi um marco literário, sempre ocupando a lista dos bestsellers e aclamado pela crítica.

No cinema, não foi diferente. A distribuidora Warner Bros. Pictures adquiriu os direitos em 1999 e transformou a franquia de sete livros em oito filmes, que foram lançados entre 2001 e 2011. O retorno foi colossal. A franquia rendeu mais de US$ 7,5 bilhões apenas em bilheteria. As adaptações, assim como os livros, sempre foram bem aceitas pela crítica, pelo público e a maioria dos fãs.

Outra mídia que “Harry Potter” conquistou foi a dos videogames. Até o momento, a série já rendeu dezesseis jogos – o dobro do número dos filmes -, que variam entre títulos de LEGO, jogos em terceira pessoa e lançamentos do Pottermore em parceria com a Sony.

E não podemos esquecer das áreas temáticas: o Studio Tour The Making of Harry Potter, em Londres, a exibição que roda o mundo e os milhares de produtos que acompanham o nome do bruxo (roupas, brinquedos, action figures, jogos de tabuleiro, réplicas, entre muitos outros itens).

Em outras palavras, “Harry Potter” se tornou um fenômeno cultural que já ocupa a prateleira dos clássicos. Para tentar responder de onde vem tanta força em um nome, alguns especialistas afirmam que “Harry Potter” foi lançado na época certa e para o público certo – enquanto os ávidos fãs de conspirações apostam que a série já vinha sendo planejada há anos pela Warner Bros., e que Rowling não passa de uma escritora fantasma. Sim, acreditem, essa teoria da conspiração é aceita por muita gente.

Este ano, 2016, é excepcional para os fãs. Criança Amaldiçoada chega aos palcos e às livrarias agora em julho e o primeiro filme da trilogia inspirada no livro didático de Hogwarts, homônimo, Animais Fantásticos e Onde Habitam será lançado em novembro. Mesmo assim, muitos ainda não perceberam que a Warner Bros. quer fazer da marca algo muito maior.

Wizarding World

Esse logo para o “Mundo Bruxo de J.K. Rowling” tem cada vez mais peso. Eu não me surpreenderia se nos segundos inicias de Animais Fantásticos e Onde Habitam, logo depois do da Warner, ele aparecesse na tela. Além disso, para quem não sabe, a empresa criou uma subdivisão de seus estúdios apenas para a série, a Harry Potter Global Franchise Development. Ou seja, tudo o que envolver o mundo mágico de Rowling é trabalhado por uma equipe especial. Só por curiosidade, a franquia “Caça-Fantasmas” também ganhou uma divisão especial dentro da Sony Pictures, chamada de Ghost Corps. Quando fui conferir o filme, o logo da subdivisão estava presente, o que me fez pensar em “Harry Potter” no mesmo segundo.

O objetivo deste texto não é só comentar o sucesso do patrimônio de Rowling, e sim trazer ideias de futuros caminhos que a Warner Bros., em parceria com a autora, pode trilhar com a saga; seja através dos livros, filmes, sites ou jogos. Confira abaixo algumas ideias e comente com a gente suas opiniões!

Harry e Seus Fãs

Harry e Seus Fãs

Sim, aquele livro escrito por Melissa Anelli e com prefácio de J.K. Rowling. Quando terminei de ler, senti na hora que daria um bom documentário. Seria algo nostálgico e que os fãs iriam adorar, até porque, quem não se identificou com a Melissa?

Para quem não sabe, Harry e Seus Fãs é um livro que estuda, de certa forma, o sucesso de “Harry Potter”, além de contar toda a trajetória de Anelli, fã e fundadora do fansite The Leaky Cauldron. Se formos parar para pensar, não seria um produto que arrecadaria milhões, mas seria com certeza algo que os fãs adorariam ver.

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

Harry Potter and the Cursed Child

Eu não ficarei surpreso quando a Warner Bros. confirmar o filme de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, e muito menos se o filme tiver duas partes, assim como a peça. Não se preocupe, não darei spoilers nem entrarei em detalhes sobre a trama. Para saber tudo sobre a história, clique aqui. Escute também nosso podcast, que mostra a opinião de alguns membros da equipe, aqui.

Os direitos já estão com a empresa e nada foi anunciado e nem será, pelo menos em curto prazo. Por enquanto, podemos apenas especular e torcer para que isso aconteça. Se formos fazer um cálculo rápido e levarmos em consideração que Animais Fantásticos e Onde Habitam será uma trilogia, o filme poderia sair depois de 2020. E vamos combinar que poderemos ter o clássico trio e os veteranos da franquia de volta, por questões óbvias.

Diferentemente de Harry e Seus Fãs, Criança Amaldiçoada será com certeza um estrondo em bilheteria. É inegável a força que o nome “Harry Potter” tem. As vendas dos ingressos da peça já estão esgotados até 2017 e o livro é um bestseller da Amazon desde que entrou em pré-venda. Filmes são produtos fáceis de se vender e são para grande massa, diferente de um livro ou de uma peça.

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada seria facilmente um dos eventos cinematográficos mais aguardados e seria fácil comparar com o que Star Wars: O Despertar da Força fez no ano passado.

Quadribol Através dos Séculos

Quadribol através dos Séculos

Quadribol Através dos Séculos foi lançado em 2001 juntamente com Animais Fantásticos e Onde Habitam. É outro livro da biblioteca de Hogwarts e conta toda a trajetória do quadribol e de outros esportes dos bruxos. Mas não estou falando de um filme. Minha ideia é outra.

Em 2004, foi lançado Harry Potter: Copa Mundial de Quadribol, um jogo inteiramente baseado no esporte. Você podia criar campeonatos entre as casas de Hogwarts ou jogar a Copa escolhendo alguns países. Hoje em dia, o jogo não é mais vendido e nem existe para os consoles mais recentes. Entretanto, ele fez muito sucesso na época entre os fãs e gamers. Mais de dez anos depois, não foi confirmado um remake em alta-definição ou sequência. E, bem, essa seria uma ótima oportunidade.

Os jogos sempre estiveram presentes na série, e, com algumas exceções, sempre foram legais. Um não só baseado em quadribol, mas em outros esportes bruxos que estão presentes no livro, além de possuir uma mecânica nova para os consoles atuais, poderia explorar toda a área de esportes do mundo bruxo.

Os Contos de Beedle, o Bardo

Os Contos de Beedle o Bardo

Talvez seja o que os fãs mais queiram ver em anos. O livro, que se divide em cinco contos, é direcionado para jovens bruxos e tem um papel de grande importância em Relíquias da Morte.

A parte mais importante disso tudo é pensar na forma como poderia ser adaptado para o cinema. Um filme para todos os contos seria o ideal. Mas estamos falando em negócios, e não é tão idiota pensar que a Warner adaptaria cada conto em um filme. Talvez uma série?

Ao ler os contos de Beedle, percebe-se a fácil leitura dos textos, mas o tom utilizado é sério e, por vezes, nada infantil. Talvez os filmes poderiam seguir o estilo de O Labirinto do Fauno? Ou algo parecido com o trabalho de Tim Burton? Mais uma vez, não vou ficar nada surpreso se forem anunciados filmes assim. Se em 2011 me perguntassem “Agora que a franquia acabou, o que você mais gostaria que fosse adaptado?”, com certeza eu responderia Os Contos de Beedle.

MMORPG

MMORPG

O que eu mais quero ver é um MMORPG sobre “Harry Potter”. MMORPG (massively multiplayer online role-playing game) é um jogo de simulação em que você deixa de viver socialmente para viver sua vida virtualmente. O mais conhecido do gênero é World of Warcraft.

Em um MMORPG do mundo bruxo, imagino eu, poderíamos criar nosso avatares, andar por Hogwarts, frequentar aulas, ir às compras no Beco Diagonal, duelar, e tudo que você sempre quis. Inicialmente, pensei que o Pottermore seria isso. E não só eu, tenho certeza! Fico pensando… Por que nunca investiram nisso? Estamos falando de uma marca enorme. Seriam altos investimentos para um retorno não tão bom assim? Infelizmente, não saberemos.

A título de comparação, a trilogia “O Senhor dos Anéis” possui um MMORPG, The Lord of the Rings Online, em que você pode escolher se quer ser um hobbit, cavaleiro, elfo, entre outras raças, e andar por toda a Terra-Média cumprindo missões. E sim, é um produto oficial da Warner Bros. O jogo já roubou muito do meu tempo. Eu não era um avido fã da obra de J.R.R. Tolkien, quando instalei havia assistido apenas aos filmes e conhecia aquilo que nos tinham apresentado neles. Agora, tendo lido as obras, vejo que perdi muita coisa.

Pottermore

Pottermore

Fundado em 2011 como um site interativo, o Pottermore nos trouxe (e continua trazendo) textos inéditos escritos por J.K. Rowling, hoje já são mais de sessenta. Com termos, biografias de personagens e explicações, o site tomou um novo rumo em 2015, com um misterioso correspondente (que, posteriormente, descobrimos que se tratava de mais de uma pessoa) que nos deixa ligado em todas as novidades. O site continua sendo a principal fonte de notícias para os fãs.

Creio que o Pottermore será ainda mais importante para “Harry Potter”, com ou sem J.K. Rowling. O grande problema, atualmente, é a falta de interatividade que o site possui.

The Scottish Book (O Livro Escocês)

Livro Escocês

Esse livro basicamente é o Pottermore antes de o Pottermore existir. Quando estava concluindo a escrita do sétimo livro, Rowling sempre deixava clara sua intenção de escrever uma enciclopédia contando detalhes de todo o mundo bruxo, em um livro que ela tinha intitulado (como uma piada) The Scottish Book.

Quando o site oficial da autora foi repaginado, houve uma nota informando que o livro estava sendo escrito. Não tardou muito e a mensagem foi substituída por uma dizendo que ela estava feliz em divulgar novos textos de modo gratuito no Pottermore.

Agora resta a dúvida: será que algum dia veremos essa enciclopédia? Acho que não. Uma pena. Mas se um dia ele for confirmado espero que possua esse título.

Aplicativos

Apps

Recentemente foi lançado Pokémon GO, um aplicativo capaz de fazer você capturar pokémons (ou, como diz a televisão, monstrinhos virtuais) ao redor do mundo seja onde estiver. O jogo está sendo um sucesso financeiro e um fenômeno mundo afora com as ações da Nintendo subindo e gerando lucros absurdos.

Bom, se a Warner Bros. não quer fazer um MMORPG de “Harry Potter”, no mínimo com um aplicativo no estilo de Pokémon GO eles podiam nos presentear. Caçar criaturas? Caçar Horcruxes? Duelar entre os usuários? Praticar feitiços e poções? Sim, o mundo bruxo é gigante e possui uma infinidade de ideias que podem ser concretizadas. Sites internacionais e fãs até já iniciaram uma petição.

Versões Estendidas

Hogwarts vista através das árvores

A parte mais triste para os fãs talvez tenha sido os cortes que os filmes sofreram. Muitos entendem que são mídias diferentes e exigem mudanças, outros nem tanto.

Dos oito filmes da franquia, apenas Pedra Filosofal e Câmara Secreta ganharam uma versão estendida. Sobretudo, eles apenas tinham cenas que os fãs já conheciam. Uma ótima saída da Warner seria fazer versões estendidas novamente, com as cenas excluídas que conhecemos ou até com outros momentos que nunca saíram da sala de edição.

Quer um exemplo? Pirraça estava no roteiro, teve seu ator escalado (Rik Mayall), teve suas cenas gravadas, mas, quando chegou à edição, as cenas foram cortadas. Nunca foi um grande segredo sua exclusão dos filmes. Recentemente, podemos até ver uma arte conceitual para o personagem que esteve presente em O Livro dos Personagens de Harry Potter.

Mas se formos procurar nos mecanismos de pesquisas e até nos trailers, acharemos várias e várias imagens e momentos que não estão nos longas. Vai lá, confira! (Saudades cena da cachoeira em Harry Potter e o Cálice de Fogo, que estava até no álbum de figurinha).

Qualquer outra história no mundo bruxo

Mapa do Maroto

Vamos ser sinceros, quem esperava por algum filme como Animais Fantásticos e Onde Habitam? Se o tomarmos como base, Rowling poderia nos contar praticamente qualquer história sobre qualquer personagem em qualquer época e em qualquer lugar, contanto que o elemento “bruxaria” esteja no meio!

Qualquer personagem que tenha sido ao menos citado pode potencialmente virar um novo livro (ou mais possivelmente, um novo filme). Entretanto, não podemos deixar de pensar em algumas opções maravilhosas: quão incrível seria um livro/longa dos Marotos/Snape/Primeira Guerra Bruxa? Ou uma história mais detalhada sobre a origem de Hogwarts (ou mesmo Ilvermorny)? Que tal uma narrativa mais focada em Dumbledore? Uma história que se passe no mundo bruxo oriental poderia nos dar uma visão completamente diferente da magia que temos até o momento.

São tantas ideias igualmente possíveis e interessantes que fica até difícil listar.Divisor de texto É isso, pessoal. Qualquer sugestões e ideias, por favor, comentem abaixo. É muito importante para nós, da equipe, vermos a interação entre os fãs!

P.S.: E não se esqueçam que todas as ideias presentes são apenas comentários e suposições de um fã. Nada foi confirmado.

Sobre o autor

Bruno Alves

Apaixonado por "Harry Potter" e cultura pop em geral, Bruno é estudante de Publicidade e Propaganda. Tentando se encontrar no meio da comunicação social, ele usa seu tempo escrevendo histórias, assistindo filmes, tomando café e falando do Mundo Bruxo.

  • Helber Lessa

    Não concordo na questão de Cursed Child…Seria uma exploração pior que a da Record sobre Os Dez mandamentos e mancharia a imagem da saga.

  • Priscilla Florêncio

    Sinceramente, gostaria de ver todas essas possibilidades, tornarem-se reais.
    Porém, a que eu mais aguardo… Seria a Warner tornar o mundo Potteriano um seriado…
    Contando todas histórias do mundo mágico… Desde os fundadores de Hogwarts, até a Terceira Geração dos Weasley’s e Potter’s… Enfim, como fã… Eu sonho muito com o dia em que eles irão reproduzir detalhadamente (como seriado, pois como filme, já vimos que não é possível) os 7 livros, e muito mais. Com o lançamento de Animais Fantásticos, a J.K esta vivendo a experiência de ser uma roteirista para a industria cinematográfica, por isso, gostaria muito que ela continuasse a fazer isso, mas, que ela e a Warner investissem em um seriado, e não e tantos filmes… Sabemos que seriados são bem mais trabalhosos, em questão de tempo, e que os filmes também são, mas o reconhecimento dos filmes, é bem maior… Porém, o Universo Mágico, merecia uma expansão maior e mais minuciosa.
    Mas, isso é apenas uma fã, sonhando alto. Acompanho o Trio de Ouro em suas aventuras, desde que tinha 9 anos… E hoje com 22, eu realmente espero que a magia nunca acabe! “Até quando?… Sempre.”

  • Marcos Mattos

    Gente eu adorei o texto! Realmente são muitas especulações em torno da franquia, mas temos que aguardar quais surpresas a Warner e até mesmo a Tia Jô estão programando para nós fãs… Creio que esta expansão do Universo Mágico tende a crescer cada vez mais e nós temos somente benefícios quanto a isso. Tenho 27 anos e amo Harry Potter de uma forma que nem sei explicar… Ah, eu gostaria de pedir uma coisa! Sou doido para publicar um texto meu sobre como conheci o Harry e como Tia Jô entrou na minha vida, vocês poderiam ceder um espaço na página, para que os fãs possam expressar todo seu amor!