Podcast

Podcast Animagos #29 – O queerbaiting de David Yates e J.K. Rowling

Uma montagem. Uma mira em vermelho aponta para J.K. Rowling e David Yates. No entorno da mira, o título do episódio. No canto superior, "Animagos: 29".
Escrito por Igor Moretto

No episódio de hoje, seus anfitriões pensadores Igor Moretto e Renato Delgado se juntam a Larissa Andrioli, do SonseriníssimaSidney Andrade e Danilo Carreiro, do HQ da Vida, para falar sobre a polêmica que se criou a partir da declaração de David Yates sobre a sexualidade “não explícita” de Dumbledore na sequência de Animais Fantásticos e Onde Habitam e o queerbaiting e a falta de representatividade LGBT que existem desde “Harry Potter”.

Você pode ouvir o episódio no player acima ou fazer o download do .mp3 aqui (botão direito, salvar link como…/salvar link). O episódio também está disponível no iTunes, então você poderá assinar o feed no seu computador ou ouvir os episódios no seu iPhone, iPod ou iPad no aplicativo Podcasts. Você pode também adicionar o podcast ao seu agregador RSS ou player de podcast preferido através deste link.

Entre em contato

Se você quer entrar em contato com a gente e mandar sua opinião sobre o podcast (ou qualquer outra coisa, mesmo!), comente nesse post, ou envie um email para contato@animagos.com.br. Nós também estamos no Twitter, como @siteanimagos; no Facebook, como /siteanimagos, no YouTube, como +animagosbrasil, e agora também no Instagram, como @animagosbrasil!

Visite e assine o HQ da Vida e escute, no dia 03 de março, o episódio sobre queerbaiting no qual participamos!

Recomendações

Igor: livro O Livro Das Sombras – La Belle Sauvage;
Renato: filme Com Amor, Simon;
Larissa: livro Um Tom Mais Escuro de Magia e outros da autora V.E. Schwab;
Danilo: série Star Trek: The Next Generation;
Sidney: Demolidor: O Homem Sem Medo, prosa da obra original de Frank Miller, escrita por Paul Crilley.

Sobre o autor

Igor Moretto

Igor já trabalhou como tradutor de conteúdo em diversos sites. Hoje, formado em Produção Audiovisual, procura alimentar o Animagos com novidades e é responsável pelo podcast mensal.

  • Gustavo Borella

    Olá, pessoal!
    Acredito que a J.K. que escreveu a saga HP não é a mesma que está escrevendo AFEOH, pois ela está escrevendo algo que é pra vender, não é igual aos livros em que ela começou a escrever sem ter medo de perder dinheiro.
    Assistirei o filme no cinema, apesar dessa polêmica toda, mas como vocês disseram, as pessoas cansarão um dia.
    Beijinhos!

  • Tauan Queiroz

    Também vou usar a locadora do Paulo Coelho e boicotar a bilheteria do filme.

  • Gisele Oliveira

    Olá pessoal do animagos e convidados.
    Sobre o cast, assim como o Igor, eu via/vejo a Rowling como uma mulher branca, de meia idade, habitante do Reino Unido. HP foi escrito na década de 90, eu acho que ela não sentia necessidade de inserir certas diversidades porque elas sequer faziam parte de sua convivência, as coisas de sua convivência, e que cabem numa história infanto juvenil, estão lá, basta olhar as influências e inspirações para vários personagens. Nesse sentido, e em relação a HP, eu sou condescendente com ela. Amo os Harry Potter do jeitinho que a história foi contada e com os personagens que ela quis nos apresentar.

    Entretanto, atualmente, sabemos que as lutas por inclusão estão mais em evidência do que nunca, e mais do que nunca é exigido dos autores que tenham mais diversidade em suas histórias. Ela não é obrigada a fazer isso, mas é um exercício de sensibilidade e é até um desafio saudável para os artistas criarem seus personagens, além de conferir qualidade e responsabilidade social (já que ela é uma ~influencer~)…acho que o mundo bruxo mais do que cabe e combina com pessoas queer, mas parece que ela discorda (embora não em outras obras suas). O que incomoda é justamente ela querer bancar a tia moderninha na internet, querendo abraçar tudo de inclusão e quando alguém vai reclamar da falta de inclusão x e y em AF, ela bloqueia no Twitter. Realmente, o Danilo encontrou a maior definição pra ela: Cláudia Leitte da literatura – Lacradora e bloqueadora.

    Mesmo que ela esteja limitada pelo estúdios e contratos e etc, o que acontece é que ela deu as costas a valores que ela mesma levantou em HP, e hoje também me dá um negocinho dizer que sou fã dela, acho que atualmente gosto mais do doguinho dela do que dela.

    PS: Sidney, vamos fazer as pazes hahahah a comparação não foi um elogio, nem uma chacota, só achei parecido e comentei pra ver se mais alguém concordava mesmo. Já ouvi o é pau é pedra filosofal e adorei, deu vontade de ler todos os livros de novo para debater <3. O thiago, apesar de ter uma boa contribuição, me incomoda ele dizer que cada livro de HP tem quatro deus ex machina, eu discordo, deus ex machina é uma solução inventada de última hora sem nunca ter sido referenciada antes, e em HP quase todas as soluções vem de coisinhas que ela já apresentou ao longo do livro, algumas estão o tempo todo na nossa cara.

    • Sidney Andrade

      <3 Pazes feitas, Gi. 😉

      PS: Quando sair o episódio de Enigma do Príncipe, que já gravamos, não briga comigo, não. Porque quem reclamou de deux ex máquina nesse fui eu hauahuahauhau Beijos, adoro sempre seus comentários.

  • Eder Borges

    Olá turma do Animados! Tudo bem? Me chamo Éder Borges, sou de Curitiba, acompanho o Animagos desde o começo, e ouço os podscasts desde a época do scarcast, nunca deixei comentário nos podcasts mas não poderia deixar de comentar esse.
    Sou gay e cresci lendo Harry Potter e idolatrando J.K. Rowling, confesso que como gay nunca me senti representado na série, a falta de um aluno gay em Hogwarts sempre foi sentida por mim, apesar de que sempre imaginei que a Luna (meu personagem favorito na saga) era pelo menos bissexual, mas hetero impossivel que ela fosse.
    Eu estava curioso é até ansioso para saber como a homossexualidade de Dumbledore seria tratada nessa nova saga de filmes, afinal o fato dele ter sido apaixonado pelo Grindelwald é de suma importância para entender “a treta” entre os dois, não esperava um beijo entre os dois, mas pelo menos que ficasse claro que aconteceu algo entre os dois.
    O que mais me entristece é perceber que o “WW of J.K. Rowling” só leva o nome dela, ela já perdeu o controle sobre o seu mundo e está presa e amarrada por uma série de coisas, mas talvez seja falta de vontade dela de bater o pé e dizer “sou a dona dessa porra toda e vai ter Dumbledore gay sim”.
    Enfim seguimos na esperança de dias melhores para o fandom. Abraços

  • Amanda Isabelle

    Gente o link para baixar, esta com o arquivo do podcast 28 🙁