Animais Fantásticos

Rowling responde dúvidas de Animais Fantásticos e informações sobre continuação são reveladas

Escrito por Renato Delgado

Desde que o filme Animais Fantásticos e Onde Habitam teve sua première londrina, diversas informações dadas por J.K. Rowling, o diretor David Yates, o produtor David Heyman e o elenco a respeito do primeiro longa, suas cenas deletadas e sobre a continuação começaram a ser divulgadas na internet.

Resolvemos condensar todas essas notícias em um só post devido à natureza complementar entre as informações. É preciso destacar que haverá spoilers do primeiro filme da série a partir de um ponto específico do texto (marcado em negrito e em cor vermelha), então, se não tiver assistido ainda ao filme, volte mais tarde para ler o resto específico da notícia!

divisor

Nomeando as continuações

Para começar, se você estava curioso em relação ao título do segundo filme, sinto informar que vai continuar sem saber, mas pelo menos agora terá mais ideia de como ele será estruturado. O protagonista Eddie Redmayne confirmou, durante o papo que o elenco teve na Apple Store de Soho, em Nova York, uma das teorias mais aceitas pelos fãs do universo: de que os filmes dessa nova série seguirão os moldes de “Harry Potter”, sempre contendo um subtítulo após as palavras “Animais Fantásticos”. A revelação se encontra perto do minuto 26:18 do vídeo, se você preferir pular para o momento exato.

Eu estava me perguntando como os títulos vão funcionar. Vocês têm alguma ideia? Porque eu tava pensando: “Vocês podem fazer Animais Fantásticos e Onde Habitam 2, mas isso é meio chato. Pode ser só Animais Fantásticos. Pode ser Fantásticos e Animalescos…
MILLER: Outros Lugares em que Habitam Animais Fantásticos?
FOGLER: Animais Fantásticos e Opa, Esquecemos Um?
MILLER: Onde Habitam De Novo?
Vocês sabem como eles serão estruturados e nomeados?
REDMAYNE: Quer saber? Perguntei isso ao David Yates e ao David Heyman ontem. E a resposta é: “Animais Fantásticos” continuará no título, seguido de “and the” (“e o/a/os/as”) alguma coisa.
Segue um formato muito parecido!

divisor

A época, o roteiro e o início das filmagens

Ainda sobre a continuação (não se preocupem, por enquanto nenhum spoiler), o diretor David Yates revelou algumas informações. Primeiramente, em uma conversa com o canal Filmlounge, ficamos sabendo que o segundo filme da pentalogia vai se passar na primavera/verão de 1928 em Paris (em sua maior parte, já que também haverá cenas na Inglaterra). Vale ressaltar que essas estações no hemisfério norte correspondem da época que vai do final de março ao final de setembro.

Estou muito feliz em ver um filme no universo bruxo que se passa perto do inverno e Natal. Você acha que é possível classificar um filme como um filme de verão ou de inverno?
YATES: Você tem razão. Uma das coisas que mais gostei sobre o roteiro era que ele se passava perto da época de Natal e de Ação de Graças. Quando criança, adorava filmes que se passavam no Natal. Sempre há algo mágico a respeito deles e você sempre queria voltar a eles todos os anos. Havia algo neste que, definitivamente, o fazia se sentir natalino. Não sei a razão, mas fazia – a magia, o Natal, as luzes, Nova York no Natal. Foi fantástico.
O próximo filme […] se passa no tempo de primavera/verão, então tem uma sensação diferente porque estamos em Paris. Precisamos estar em Paris durante a primavera/verão, não é mesmo? Mas gosto do fato de que este filme – a arquitetura, os prédios, o céu no inverno – é lindo, gráfico. É a sensação correta para o inverno/outono.

No momento, o filme está em pré-produção e Yates também revelou que as filmagens começarão em julho, provavelmente por não desejarem tomadas em tempo muito frio, já que julho é um dos meses em que o verão está mais evidente na Europa. Veja abaixo o que o diretor disse ao ScreenSlam sobre o contexto do segundo filme:

Você planeja fazer os outros?
YATES: Bem, estou fazendo o próximo no momento, então estamos em pré-produção. Começamos a filmar em julho. Esse vai me tomar dois anos. Voltaremos aqui daqui a dois anos para apresentá-lo a vocês. Quero continuar trabalhando neles de algum jeito porque amo as pessoas com as quais estou trabalhando. É inspirador e empolgante trabalhar com estas pessoas.
Se vou dirigir mais? Acho possível. Não sei ainda. Há tanto a considerar que só devemos olhar um de cada vez. É isso o que precisa ser feito. Estou empolgado com o próximo. É bem diferente do primeiro. O próximo é como se fosse um sonho. É bastante sombrio, interessante e lírico, e muito diferente do primeiro. É uma prova a Jo como roteirista de que ela não está se repetindo. Ela está estendendo para algo que parece muito mais diferente, na verdade. Então, para mim, como cineasta, é empolgante.
Claro que há a continuidade narrativa, então Newt e todos os personagens voltam e passam por várias aventuras, mas a sensação é bem diferente. E é isso que me anima. Suspeito que Jo, ao longo do desenvolvimento dessas histórias, não vai querer se repetir também, então todos têm a sensação um pouco diferente a cada vez. Espero isso, pelo menos.

divisor

Rowling responde sobre dúvidas do primeiro filme

Agora, voltamos ao primeiro filme! Para começar, a roteirista J.K. Rowling respondeu diversas dúvidas que os fãs tiveram sobre o primeiro filme no seu Twitter oficial. A primeira dúvida surgiu devido à cena do início em que o magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) está chegando de navio a Nova York (em vez de utilizar algum meio de transporte mágico, especificamente a aparatação). A autora explica: “Há um limite para o quanto você pode aparatar. Aparatação intercontinental é muito perigosa!”. Mais tarde ela confirmou que o perigo está no bruxo acabar estrunchando.

Ela também respondeu sobre a possibilidade de se usar uma chave de portal para realizar essa viagem, sugerindo que poderia haver consequências para as criaturas que habitam dentro da maleta do personagem: “Considere o efeito [da chave de portal] sobre o conteúdo dentro da maleta”. Também relacionada à primeira cena, Rowling foi questionada sobre a existência de uma alfândega bruxa. Ela disse: “Newt passou pela alfândega não-maj porque os bruxos não seriam enganados tão facilmente. Transportar aquelas criaturas era ilegal”.

J.K. também recebeu uma “reclamação” a respeito da personagem Tina, interpretada por Katherine Waterston. O espectador ironicamente disse que amou “Tinaaaaaaarghh”, mas disse que ela era legal perto de Newt. A autora disse que ela sempre é adorável, apenas teve uma vida difícil e, sim, os espectadores verão muito mais dela na história e ainda prometeu que ela terá momentos em que se mostrará uma personagem badass.

Uma fã disse à escritora que não tem certeza sobre o que pensa da presidenta Serafina Picquery (Carmen Ejogo). Ela vê sentido no que ela diz, mas, ao mesmo tempo, fica confusa porque também vê sentido no que o vilão Grindelwald (Johnny Depp) defende. Rowling respondeu que “não tem nada de errado [nisso], essa é a nossa história”.

divisorSPOILERS GRAVES!

Yates e Heyman revelam as cenas deletadas do primeiro filme

Ao longo de diversas entrevistas recentes dadas pela equipe técnica para alguns meios de comunicação, algumas informações foram apreendidas em relação a cenas deletadas do primeiro filme da série que fazem grande referência ao(s) próximo(s) longa(s) da série.

Antes de ir, de fato, às cenas novas, vamos retomar todas as que já sabíamos que estariam fora do filme antes do lançamento. Todas elas foram reveladas em entrevistas passadas e sabíamos de pelo menos quatro cenas deletadas que não sobreviveram ao corte final do filme:

  1. A primeira dessas cenas é logo do início do filme: Jacob (Dan Fogler) é dispensado por sua namorada depois dos acontecimentos no banco.
  2. Na segunda, o magizoologista Newt Scamander aparece sem camisa para exibir suas cicatrizes e marcas de mordidas como resultado de sua expedição mágica mundial. De acordo com declarações da equipe técnica, a cena não ficou no filme porque não encaixava muito bem no enredo.
  3. A terceira cena, cujo trecho esteve até em um trailer e em vários comerciais de TV sobre o filme, continha a citação icônica de Jacob, “Eu quero ser um bruxo”, enquanto bate palmas maravilhado do lado de Newt. Posteriormente, descobrimos que ela acontece logo depois de uma cena musical em que Queenie e Tina cantam uma música sobre a escola onde foram educadas, Ilvermorny. A música, inclusive, foi escrita por J.K. Rowling em parceria com Alison Sudol, intérprete da legilimente.
  4. A última dessas cenas também esteve em trailers. Trata-se da cena em que o Newt tenta acalmar os oficiais: “Não entrem em pânico. Não há razão para vocês se preocuparem”. A cena foi excluída porque não combinava com o tom da sequência.

Após essa extensa retomada sobre o que já sabíamos de cenas deletadas, vai aqui a nova e bombástica cena que foi deletada do final do filme. Como vocês já sabem, o ator Ezra Miller está confirmado para o segundo filme. Isso porque seu personagem, Credence, não morreu de fato depois dos eventos do primeiro. Aquela fumaça que Newt vê depois que todos acreditam que ele foi eliminado revelou que o bruxo ainda estava vivo, mas no fim do longa havia uma cena em que esse fato ficava ainda mais claro, já que vemos o bruxo em carne e osso.

Quem conta sobre essa cena, que possivelmente será vista nos extras do DVD e Blu-Ray, é o produtor David Heyman. Durante a junket de Nova York, o produtor contou para o site Cinema Blend:

HEYMAN: Tínhamos uma cena, que acabamos cortamos, em que Credence vai em direção a um barco para ir a algum lugar. Mas cortamos porque não queríamos que desse a sensação de “Ahhh, lá vamos nós”.
Então como era essa cena?
HEYMAN: Ele pegando um navio, talvez um navio com Newt, talvez não. Estava saindo de Nova York.

E agora, uma notícia boa (ou triste, dependendo de como vocês a receberem) para os que torcem pelo romance de Newt e Tina: a cena da captura do seminviso na loja de departamento continha muito mais previsões do animal sobre o futuro, incluindo ainda diversas visões de futuros da relação de Tina e Newt. Não é mistério para ninguém que os dois acabam juntos e se casando, já que essa informação está no livro Animais Fantásticos e Onde Habitam, publicado em 2001, mas o relacionamento dos dois está bastante embrionário. O diretor David Yates contou a respeito dessa cena quando foi questionado sobre qual havia sido a cena mais difícil de filmar. Confira abaixo:

Houve algo no roteiro que foi particularmente difícil de ser filmado?
YATES: Para falar a verdade, houve. Havia uma cena linda que [Rowling] escreveu em que Newt conta a Tina sobre uma jovem africana que ele tentou salvar, porque esta garota africana tinha um Obscurus.
É uma história bem difícil para Newt contar. Eles estão em uma loja de departamento perseguindo o seminviso. Newt divide esta história com Tina e, quando ele divide esta história com Tina, o seminviso tem uma visão prematura de vários futuros para Tina e Newt. Eles começam a se separar e então vemos várias Tinas e Newts tendo conversas diferentes sobre seus futuros.
É uma cena linda no roteiro e sempre a amei. Quando estávamos desenvolvendo-a no roteiro, David Heyman ficou dizendo: “Essa é difícil, não é? Como vai funcionar conceitualmente? Como isso não vai impedir o filme de seguir em frente?” E eu sempre disse: “Olhe, gente, é tão linda” – esta ideia de futuros Newts e Tinas. Era tão viajada e tão divertida. Mas, claro, quando juntei o filme, ficou com a sensação, no momento, de que estávamos ganhando muito ímpeto caçando o seminviso, e isso parecia diminuir muito o ritmo das coisas.
Em vez de aprofundar na relação de Newt e Tina, ela não nos levou aonde queríamos estar com eles. Então retiramos. É uma prova de que Jo tem uma imaginação ímpar que surge com ideias assim o tempo todo. Na maior parte do tempo, quando a filmamos, funciona – mas, nesse caso, pareceu que desacelerava um pouco as coisas.

divisorEsse apanhado de notícias sobre “Animais Fantásticos” termina por aqui, mas a qualquer momento podemos ter novas informações, então fiquem ligados sempre nas nossas redes sociais e no nosso site!

Animais Fantásticos e Onde Habitam já está no cinema! O segundo filme da série será lançado em novembro de 2018!

Sobre o autor

Renato Delgado

Corvinal de coração, Renato já trabalhou em pelo menos quatro sites de "Harry Potter" e ainda não se cansou deles! Recém-graduado em Letras, tenta a todo custo não acabar nas salas de aula, pois prefere traduzir e revisar textos a ensinar. Deseja fazer Mestrado em Linguística e talvez atuar como pesquisador no futuro.

  • Andre

    Justiça por Graves!

  • Henrique Tavares

    “Newt passou pela alfândega não-maj porque os bruxos não seriam enganados tão facilmente”.

    Quer dizer que passar por uma alfândega não-maj substitui passar por uma bruxa? E isso era pra convencer que os bruxos não são enganados facilmente?

  • Bruno Xavier

    Só algo que não ficou muito claro, foi o fato de que se Grindwald havia tomado o lugar de Percival Graves, e o tempo todo ele estava buscando o hospedeiro, então qual foi o destino dado ao verdadeiro, creio que deve ter sido morto, mas o filme não deixa explícito.

    • Alecksa Lima

      Eu também queria saber o destino do verdadeiro Graves.

    • Lorde Gui

      Morto eu acho que não estava, por que se Grindelwald tinha se transformado por meio de polissuco o “copiado” tem que estar vivo…

  • André Ricardo

    Esse filme veio com tudo. Adorei os personagens, Newt, Jacob, Queenie… A Presidente imaginava que fosse uma personagem 100% benevolente, me lembrou muito Cornélio Fudge no Prisioneiro de Azkaban. O Graves pra mim foi a maior surpresa, chegou nas cenas finais e eu fiquei torcendo pra não darem um fim nele, eu já estava mais do que convencido de que ele era um mandante de Grindelwald, até que… em fim.

    • Lorde Gui

      Também pensei que a Presidente Picquery era benevolente, mas ela é bem imparcial… Ou empática, sei lá. Ela sabia que um obscurial não escolhe ser portador da criatura, e mesmo assim mandou matar sem do nem piedade, sem nem conhecer e ajudar ele…